domingo, 26 de junho de 2011

Cordelzinho

Eu vou dizer bem baixinho
Que é pra ninguém me escutar
Que é teu o meu carinho
Que é teu o meu caminho
Que é teu o meu vagar
E foi mesmo 'vagarinho
Que em combinação com o ar
Você espalhou no vento
Tudo o que eu tinha de alento
A casca do sentimento
O aposento do gostar
E se pôs bem de mansinho
Feito bem um passarinho
Que vai construir o ninho
Onde não dá pra alcançar
Mas donde há de ouvir-se o canto
E donde se está, portanto
Vitimado do encanto
Da tua voz de encantar.
Vai-te embora, passarinho
Pensei bem em lhe pedir
Mas a menina bonita
Sabia que aquilo era fita
Não era para partir
Ao contrário, era pra ficar
Pra ficar sempre e mais perto
Que o silêncio do deserto
Se alegrava, passarinho
De sempre te ouvir cantar
E então deixando, certo
Foi ficando e, sendo esperto,
Cativando o meu desejo
De um jeito que, agora vejo,
Não quero mais me livrar.