sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Cuitelinho

Já tinha dito AQUI sobre Cuitelinho, uma música de domínio público recolhida por Paulo Versolini e cantada por Renato Teixeira. Eu adoro a música. Acontece que o Paulo Versolini acrescentou por sua conta um verso novo que o Renato depois passou a cantar.

Depois de ouvi-lo eu quis brincar disso também. E desde então um verso me entalou que não saía, embora eu pensasse muito sobre ele. Mas como pensar não adianta, e verso agonia por gosto e só sai quando quer, hoje, quase um ano depois, quando eu nem pensava nisso, ele me saiu. Ficou assim:

"A estrada dessa vida, ora alonga, ora atalha
Ora anseia água fresca, ora acende uma fornalha
Quero a terra como herança
E o céu como mortalha"

Livrei-me...