domingo, 10 de outubro de 2010

Deuses da Bola


Não tem jeito. Vira e mexe eu pingo aqui no blog algo sobre um livro de futebol. Bom, isso é porque eu leio livros sobre futebol. Agora foi a vez de "Deuses da Bola", que fala especificamente sobre a seleção brasileira. Jogo a jogo, ano a ano.

Eu já tinha notado algo quando li "O futebol explica o Brasil": os anos de formação da seleção, os antigamentes, até a Copa de 70 e, talvez, até 82, me divertem muito mais do que as histórias recentes. Faz uns anos me diverti demais lendo a boa biografia de Garrincha, de Ruy Castro, e o futebol moderno, especialmente depois de 90, parece muito chato.

No caso de "Deuses da Bola", só mesmo a graça dos antigamentes salvam o começo do catalográfico livro. É um festival de números e poucas histórias. Mesmo assim, insisti. Passei pelos primórdios, pelo início das Copas, até 54. Chegou a Copa de 58 e não havia nenhuma historinha sobre o Garrincha ou sobre sua estréia na seleção. Daí desisti. Passei pra outro.

Se você gosta de letras, "Deuses da Bola" fica devendo. Se gosta de números, bom apetite.