terça-feira, 14 de setembro de 2010

Las hay...

Estava conversando sobre isso dia desses, com meus pais, e agora procurando uma outra coisa da internet resolvi ver se o Google achava algo sobre o tema. Não achou.

O tema da conversa tinha sido um paranormal, do tipo força-da-mente, acho que foi o Uri Geller, que foi no Jô Soares uma vez faz muito tempo. Estava em casa assistindo com minha mãe e ele prometia que iria consertar relógios pela televisão. Minha mãe, claro, foi pegar um despertadorzinho quebrado que não despertava mais e colocou em cima da TV. Fez tudo certinho. Mentalizou, não sei o que, e isso, e aquilo, e fala "funciona", e ela do lado de cá "FUNCIONA". E não é que o bicho disparou de tocar sozinho? Ele que não tocava, tocou feito um desembestado. Depois parou de novo e nunca mais tocou. Quebrou de novo. Mas que naquele dia tocou, tocou.

Já o que pesquisei no Google era sobre quebranto (ou mal-olhado). Minha mãe e minha avó são benzedeiras de quebranto e desde que eu me conheço por gente rola essa história entre elas, o que me faz achar muito normal. Pelo que eu entendo, o quebranto é quando a inveja de alguém suga a sua energia e te deixa meio mole. Enfim, energias à parte, a gente pode acreditar ou não, mas tem um detalhe curioso.

Para saber se alguém está ou não com quebranto, minha mãe coloca água em um pires e pinga uma gota de óleo. Se você não fugiu das aulas de química da oitava série, você sabe que o óleo e a água não se misturam. Pega na sua casa e faz um teste. Pois quando ela pinga, se o benzido estiver com quebranto, o óleo desmancha. O óleo se dilui na água. Some, como se fosse água. Então ela segue benzendo e pingando, até que o óleo não desmanche mais, sinal que a pessoa já está boa.

Se fosse qualquer outra pessoa, eu desconfiaria. Mas minha mãe... Minha avó... Uma vez eu até escrevi para o Fantástico numa série onde um gringo ia pagar um montão de dólares pra quem apresentasse a ele qualquer fenômeno não explicável pela razão. Nunca me responderam, e minha mãe disse que não se deve ganhar dinheiro com essas coisas.

É como dizem. Eu não creio em bruxas, pero que las hay, las hay....