sábado, 13 de março de 2010

Perdeu preyboy


Depois do papel ridículo do governador do Rio, Sérgio Cabral, chorando em público por perder os repasses da exploração do petróleo do pré-sal, agora ele e o tonto do Eduardo Paes, prefeito do Rio, dizem que a medida inviabiliza a realização das olimpíadas no RJ, e até mesmo a participação da cidade na Copa do Mundo. Eduardo Paes ainda abusa da arrogância: "Acho que, talvez, seja intersssante levar (as olimpíadas) para Rio Branco, Rondônia, Roraima, ou alguma outra cidade, porque o Rio terá muita dificuldade de fazer com os investimentos que precisam ser feitos na realização de um evento desse tamanho".

Agora o recorde mundial da imbecilidade governamental carioca: não satisfeitos com a atuação dramático-populista de seus mandatários, os times do Bangu e do Madureira fizeram antes de seu jogo pelo campeonato carioca UM MINUTO DE SILÊNCIO pela perda financeira do RJ. No final de semana, Vasco e Flamengo entrarão com a faixa "contra a covardia, em defesa do Rio".

Ah, vai se catar. Em primeiro lugar, a exploração do subsolo brasileiro é da UNIÃO, e não de particulares, municípios ou estados. Se eu encontrar petróleo no quintal da minha casa, não ganho nada e o governo FEDERAL ainda toma a minha casa. Por que com o RJ seria diferente? Então cabou-se. E se a realização da Copa e das Olimpíadas estão vinculadas ao repasse de verbas ilegal de um petróleo que só vai começar a ser explorado daqui a não sei quantos anos, azar de quem contou com o ovo no c* da galinha. Bem feito.

Evidentemente se trata de populismo barato. Se não tiver CPMF, não tem SUS. Sem pré-sal não tem olimpíada. Sempre a mesma história. Em todo o caso, liga pro Obama. Pergunta se aquela candidatura de Chicago ainda tá de pé!