quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Copenhagen

China e Estados Unidos estão sendo obrigados, pelos outros e pelas mudanças climáticas em casa, a reduzir a emissão de gases poluentes.

Os Estados Unidos batem o pé mesmo quando isso já não é mais possível. O carrão utilitário é parte do american way e os custos de uma adaptação para a geração de energia limpa em grande escala seria assombroso. Ninguém nos EUA quer gastar dinheiro.

A China, em vez de dar murro em ponta de faca, investiu pesado em ciência e em patentes. Está a caminho de se tornar líder mundial em tecnologia ambiental, energia solar, tudo o que você pode imaginar. A China vai precisar de placas solares, e vai comprar de quem? Dela mesma. Vai despejar milhões na economia e gerar um trocentilhão de empregos. O mundo inteiro precisará de placas solares, e quem vai vender? A China de novo, que vai dominar o mercado, recuperar o dinheiro investido em tecnologia e na própria adaptação ambiental e ainda encher mais um pouco o dragãozinho de dinheiro. Se é que cabe mais.

Por isso é que a China está dominando o mundo e os EUA vão a passos largos para o brejo.