terça-feira, 20 de outubro de 2009

A Majestade do Xingu

Bem legal o livro de Moacyr Scliar. Não tanto como "A mulher que escreveu a bíblia", mas gosto muito deste judeu gaúcho cuja esposa dava aulas de inglês para a Letícia, minha colega de mestrado, no escritório de sua casa em Porto Alegre. Falando em judeu, o livro conta a história de um judeu russo, um comerciante do Bom Retiro, obcecado pela figura de Noel Nutels, um menino que foi seu amigo durante a viagem de navio da Rússia para o Brasil. Enquanto esse judeu, que nem tem o nome citado no livro, tem uma vida sem grandes emoções atrás do balcão de sua lojinha, acompanha a distância a vida de seu colega de imigração, um médico sanitarista envolvido com os intelectuais comunistas que, depois do golpe militar passa a trabalhar com os índios do Xingu. Noel Nutels é o herói idealizado desse judeu um tanto infeliz com a própria vida, mas com conformismo, e com grande capacidade de fantasiar situações de sua vida e da vida de Noel que não sabemos se são ou não inventadas.

Enfim, Moacyr Scliar é sempre um tiro certo. E é claro que, depois de ler o livro fiquei me perguntando se Noel Nutels era uma pessoa real ou apenas um personagem. E a resposta é sim, ele é real! Só gostaria de saber se ele tem mesmo uma cicatriz no lábio superior feita por sua mãe que lhe apertou demais a boca enquanto fugiam de soldados comunistas russos. Quem sabe?