sábado, 8 de agosto de 2009

Suplicy - Au Au

Quando do assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, em que o P.T. estava obviamente metido e que nunca foi explicado, o senador Eduardo Suplicy saiu de casa em casa nas vizinhanças do prefeito perguntando pras pessoas se elas sabiam de alguma coisa. Ele até conseguiu algumas informações que, claro, não deram em nada, mas a atitude era, no mínimo, curiosa. Podia ter um pé na determinação e outro na maluquice, mas revelava um homem que acreditava no que fazia. Por isso votei nele sempre que pude depois disso.

O tempo passou e o Suplicy continuou cada vez mais maluco. Se já não bastasse ser ex-marido da Marta e pai do Supla, ainda começou a namorar a Heloísa Helena!!! O CQC descobriu o filão de piadas e nunca mais saiu do pé do coitado. Mas, de todo o jeito, o doido foi tocando os mandatos com o jeito Suplicy de ser.

Acontece que agora ele resolveu bater os próprios recordes. Depois da tal "viagem para o Iraque" cujo vídeo ele tanto insistia para que o Danilo Gentilli assistisse, resolveu tirar um tempinho da sessão do Senado, bem no meio do quebra-pau sobre as maracutaias do Sarney, pra cantar uma música em homenagem ao dia dos pais. Em inglês, ainda por cima!

Eu fico imaginando o que devem ter pensado os exaltados senadores da república neste momento. O Renan Calheiros que quase havia saído no tapa com o Tasso Gereissatti (seu coronel de merda) se tivesse uma camisa de força enfiava o Suplicy dentro. E o Collor? Deve ter pensado "engula essa música do Cat Stevens e a digira como achar conveniente". Já o Sarney pensou: graças a esse maluco não serei a notícia do dia!

Eu queria colocar aqui o vídeo do Suplicy cantando, mas na busca achei uma outra presepada do mesmo, recitando Racionais MC na discussão da proposta de redução da maioridade penal. É tão cômico que ele mesmo começa a dar risada...

Acho que o senador anda tirando o pé da determinação e colocando os dois na maluquice mesmo...

ps: Reparem em 1:37 a cara do senador Jéfferson Péres, na esquerda, embaixo. "Mas iso aqui é uma piada mesmo..."