terça-feira, 21 de abril de 2009

As cobras


Antes de eu contar para vocês qual é a minha nova invenção arteira (se é que ela vai dar certo), vou falar sobre 3 coisas que me marcaram muito e que ainda vão render na minha cabeça, eu sei...

Quem entra aqui (alguém entra aqui?) a algum tempo, se lembra da experiência do Homem-Man, meu supererói de história em quadrinhos. Na verdade eu só fiz 2 ou 3 tirinhas, mas não fiquei satisfeito com o resultado por que quando publicava os desenhos aqui no blog não se enxergava nada. Além disso, tinha que desenhar tudo direto no computador, e essa técnica não tava dando muito certo.

Mas não pensem que o Homem-Man morreu! Também não pensem que ele é imortal, porque supererói brasileiro morre sim, e morre fácil. Mas parece que agora começo a descobrir técnicas de desenho em computador, digamos assim, um pouco menos amadoras. Idéias eu tenho, e se eu conseguir uma execução razoável, já vou poder me divertir com mais essa (e quando eu fizer 100 tirinhas eu mando pra um jornal)!

Mas como dizia, tem 3 caras que me marcaram e que martelam sempre na minha cabeça. O primeiro deles é o Luís Fernando Veríssimo. Além de escritor, ele fez durante muito tempo uma tirinha chamada "As Cobras", que saía, acho, no Estado de São Paulo. O desenho era muito simples, mas inteligentíssimo, como tudo o que o LFV faz. Me lembro de, criança, pegar o jornal para ler a página de esportes e "As Cobras". Adoro tirinhas de jornal até hoje, Hagar, Calvin, Snoopy... Mas tenho um carinho especial pelas cobras pelo desenho simples mas preciso.

Depois eu falo dos outros dois...