segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Teoria da conspiração

O banqueiro Daniel Dantas foi preso graças a um grampo telefônico que revelou algumas de suas maracutaias. 24 horas depois foi solto pelo ministro Gilmar Mendes do Tribunal Superior, uma atitude muito questionada. Nos dias seguintes, Gilmar Mendes e Daniel Dantas tentaram mudar o foco da discussão, das maracutaias do banqueiro para a legalidade ou não do uso de grampos telefônicos.

Pois bem, em seguida, a revista Veja, que é a mais suspeita das revistas, descobre um grampo telefônico no gabinete do próprio Gilmar Mendes, aquele que era contra os grampos e que soltou o Daniel Dantas. Por causa disso, instalou-se uma crise insitucional e o ministro teve sua tese confirmada: há abuso no uso de grampos. As conseqüências são imprevisíveis, msa já há uma CPI sobre o assunto que pode, vejam só, restringir o uso de grampos por parte da Polícia Federal, por exemplo, e numa dessas, beneficiar ou mesmo anular algumas provas produzidas contra Daniel Dantas. Não sei se isso é juridicamente possível, mas no mínimo haveria uma blindagem para o futuro...

AGORA A MINHA TEORIA DA CONSPIRAÇÃO:

Imagine que Gilmar Mendes tenha grampeado o próprio telefone e repassado a fita à Veja. A conversa gravada foi absolutamente insossa e nada comprometedora, mas serve de prova para a Veja. Credenciada por essa prova, a Veja "planta" que também estão grampeados outros telefones de políticos, do governo e da oposição, de ministros, de Deus e o mundo.

Hoje, toda a diretoria da Abin, suposta responsável pelos grampos, foi afastada. Se alguém quisesse se vingar da Abin, conseguiu. Além disso, a legislação deve mudar, como queria o Gilmar Mendes.

Mas é claro que isso é uma grande loucura. O fato de Gilmar Mendes ter soltado escandalosamente o Daniel Dantas não significa que o ministro haja a mando do banqueiro. E o suspeitíssimo passado da Veja - eu me lembro da campanha pelo (des)armamento - não significa que ela seja tendenciosa e parte de uma maluquice dessas.

É claro...