sexta-feira, 28 de março de 2008

Fragmento

O navio atravessava tempestades constantes, e o capitão coordenava as ações com mão de ferro. Tufões, furacões, ondas gigantes, não havia tempo para discussões, todos lutavam dia e noite contra os perigos do mar. Quem mais nos poderia liderar nestes dias de terror? No entanto o capitão, o líder aclamado e atendido, lançava o navio sempre em direção aos ventos, salvando sempre a tripulação dos maus momentos que ele mesmo criava. Mas um dia o navio desviou-se da rota, sem querer, desviou das tormentas e atingiu regiões de mar calmo e bons ventos. Todos os tripulantes comemoraram e descansaram suas forças o quanto quiseram. Os ventos eram tão bons, o trabalho era tão pouco que em um mês, fartaram-se. Em dois meses, entediaram-se. No terceiro, enforcaram o capitão.