domingo, 1 de junho de 2014

Futurologia - correção

Republicação de post de 3 de julho de 2010.

Agora que acabou a Copa de 2010, começa a discussão dos convocados para a Copa de 2014. Eu mesmo já consultei a minha bola de cristal que me deu, em primeira mão, o time titular.


Na verdade, basta olhar esta seleção para prever a próxima. Esta é uma continuação dos pontos fortes da passada (Lúcio, Juan, Gilberto Silva, Robinho, Kaká) mais os destaques dos melhores times de até 2005, o Santos (o próprio Robinho, Elano) e São Paulo (Kaká de novo, Luís Fabiano, Josué, Júlio Batista, Grafite). Hoje, devem sair os criticados (Felipe Melo, Josué...) e os velhinhos (Lúcio, Juan...). Vejamos como será o time do nosso técnico Felipão.

Júlio César deve continuar no gol. Ele é muito bom e se o seu reserva imediato é o Doni, você imagina como é fraca a concorrência. Os melhores times do Brasil tem goleiros velhos. Correm por fora o Víctor, do Grêmio e o até o Bruno do Flamengo, se ele não estiver preso. Acho que o Márcio, do glorioso Grêmio Prudente, também pode ter uma convocação ou outra se sair para um time grande.

Maicon fica na lateral direita, concorrendo apenas com o seu já concorrente Daniel Alves.

Thiago Silva assume o lugar de Lúcio. Já está sendo preparado pra isso.

Alex Silva fica no lugar de Juan, que também já está vovô.

Continuamos sem um lateral esquerdo. Deve ser alguém que hoje joga em um time médio, um Figueirense, um Vitória, um Corinthians, e aparecerá nos próximos anos. Vaga aberta, inclusive pro próprio Michel Bastos ou praquele Filipe que vive machucado.

O mesmo vale para a posição de primeiro volante. Vaga aberta pro lugar de Gilberto Silva, mas será de um hoje desconhecido. Talvez o Pierre seja o reserva.

Hernanes ocupará substituirá Felipe Melo com muita, mas muuuuuuita vantagem.

Kaká deve continuar no time, mas não sei se com a 10. Vai disputar a vaga com o Ganso. Um será o 10, outro será o 20.

Robinho, com 4 anos a mais e um tanto de fôlego a menos, recua para o meio campo como faz hoje no Santos e tem tudo para pipocar na sua 3ª Copa seguida.

Neymar, que a essa época deverá estar no Manchester City, na Turquia ou na Rússia, tentará ressurgir das cinzas na Copa.

Pato que já deverá ter ganho um prêmio de melhor do mundo até lá, comanda o ataque e vai com tudo esfregar o título na cara do Dunga que não o chamou esse ano.

Duvida? Pois vou programar esse post para reaparecer em junho de 2014. Daí eu conto quantos eu acertei, quantos eu errei...

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Na primeira vez na noite fria...

Na minha aldeia não faz frio. Nunca.
[Quase nunca].
Hoje à medida que a temperatura cai sinto medo ao perceber que estão todos dormindo em paz.
Eu não consigo dormir. Nem sentir paz. Só sinto frio.
E aquela velha angústia, amiga das horas mais improváveis, em que nem eu mesmo ficaria ao meu lado se tivesse a opção de me desprender do meu próprio ser.
Meus pés estão gelados e meu coração ressentido.
Assim, meio piegas, a ponto de afirmar que nenhuma bebida quente, dessas que a gente toma quando faz frio,  possa aquecer minha alma esta noite.
Vou esperar a cidade acordar. Vou esperar você acordar.
Assim eu posso dormir. Assim metade de mim sente paz. Meu pé direito fica quente. Meio coração acalma. Meia alma sossega.

domingo, 4 de setembro de 2011

Segredo

Me conta do teu segredo
De reinventar o tempo
De fazer dias das horas
E desses dias, meses
E de um segundo, a eternidade
E mais devagar, e mais rápido
Instante urgentíssimo e lento
Que o tempo, momento eterno
Parece durar tão pouco
Parece acabar tão rápido.

Me conta do teu segredo
De reinventar o espaço
De fazer presença na ausência
De chegar de mim mais perto
Do que a aproximação permitida
Pela química das moléculas
Mais perto, mais do que o perto
Mais perto, mais do que o dentro
Mais perto, mais do que o mesmo
Mais perto, quase que um
E ainda insuficiente
Que eu não tinha reparado
Da assustadora distância
Do simples desvio dos olhos
Da falta do enlaçe dos dedos
Do intransponível do logo ali.

Me conta do teu segredo
Me conta?
De embaralhar os conceitos
As cartas do passado e futuro
Do lugar, do perto e distante
Do simples e do confuso
As cartas da força e do medo
Me conta do teu segredo
De rearranjá-las na mesa
Inventar o teu próprio jogo
E realinhar meu destino
Não a cigana que o lê
Mas a moira que o tece.

Me conta do teu segredo?
N
ão me conte, não me conte
Que as cartas de amor e razão
Não estão no mesmo monte
Nem hoje, nem sempre, nem ontem
Longe e perto
Perto e longe.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Diálogos - especial casamento

Como as pessoas reagem à minha resposta padrão para a pergunta: "Você não vai casar?"

__________________________________________

- E você Rogério, por que você não casa?

- Eu não caso porque sou muito feio.

- Que nada. E é o contrário, são os feios que casam.

- Então eu não caso porque sou muito bonito.

__________________________________________

- E você, casou?

- Não, eu sou muito feio.

- Que é isso. Eu casei duas vezes.

- Pois é, se até você casou, eu ainda tenho chance.

__________________________________________

- E você, não vai casar não?

- Não, eu sou muito feio.

- Acho que na verdade você não quer assumir responsabilidades.

- Então eu sou feio e irresponsável.

__________________________________________

- O Rogério não casa porque não quer ter trabalho.

- Não é por isso não. Não caso porque sou muito feio.

- Mas você já encontrou o amor da sua vida?

- Eu nem encontrei a minha vida ainda. Que dirá o brinde.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Quase um mês

São 6 meses de baixa produção e um inteiro de inatividade. Mas o blog não morreu, e voltará em breve. Ele volta. Ah, se volta. Continue passando aqui.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Cordel do Espelho

Na sala da vida há um espelho
Que pode ser atravessado
De um lado o mundo verdadeiro
Do outro, invertido inteiro
Outro mundo falseado
De um lado a vida que vale
A vida que a luz ilumina
Do outro há o que já não se sabe
Onde começa ou termina
A vida sem luz que não cabe
Na chama da lamparina

Quem olha para o outro lado
Não compreende o sentido
Quem está lá não faz caso
De viver no invertido?
Mas que vida mais vazia
Mas que vida mais pequena
Aqui é que está a alegria
Aqui é que está vida plena.

Mas na hora em que o amor começa
E então com o amor findado
É que o sujeito atravessa
De um para outro lado
E olhando pra trás de repente
Já não pode compreender
Mas que pena dessa gente
Acha que está contente
Mas não sabe o que é viver.

E eu, sentado num canto
Vejo a movimentação
É gente passando tanto
De um lado pro outro enquanto
Doutro lado, sem espanto
Vem outros na contramão
Em comum, essa gente inteira
Sabe com satisfação
Que de um lado a vida é verdadeira
E do outro é imitação
E estando de parte a parte
Ninguém exita afirmar
Que o lado onde está a verdade
É o lado onde se está.

domingo, 26 de junho de 2011

Cordelzinho

Eu vou dizer bem baixinho
Que é pra ninguém me escutar
Que é teu o meu carinho
Que é teu o meu caminho
Que é teu o meu vagar
E foi mesmo 'vagarinho
Que em combinação com o ar
Você espalhou no vento
Tudo o que eu tinha de alento
A casca do sentimento
O aposento do gostar
E se pôs bem de mansinho
Feito bem um passarinho
Que vai construir o ninho
Onde não dá pra alcançar
Mas donde há de ouvir-se o canto
E donde se está, portanto
Vitimado do encanto
Da tua voz de encantar.
Vai-te embora, passarinho
Pensei bem em lhe pedir
Mas a menina bonita
Sabia que aquilo era fita
Não era para partir
Ao contrário, era pra ficar
Pra ficar sempre e mais perto
Que o silêncio do deserto
Se alegrava, passarinho
De sempre te ouvir cantar
E então deixando, certo
Foi ficando e, sendo esperto,
Cativando o meu desejo
De um jeito que, agora vejo,
Não quero mais me livrar.